transmissao-ao-vivo-utilizando-praticas-recomendadas-de-transmissao

Transmissões ao vivo: Práticas recomendadas de codificação

mulher-realizando-transmissao-ao-vivo-com-configuraçoes-de-codificaçao-recomendadas

Para realizar transmissões ao vivo com qualidade e segurança é preciso se atentar à alguns parâmetros técnicos. Não é preciso ser um conhecedor total de tudo que engloba o streaming de vídeo, mas conhecer os pontos mais importantes pode ser útil em tomadas de decisão ou resolução de problemas.

 

É importante entender o tipo de transmissão ao vivo, que você está tentando configurar.

 

As configurações corretas de codificação se tornam essenciais para o sucesso desta transmissão.’

 

Por exemplo, eventos de música, como podcasts, requerem o melhor áudio possível. Câmeras de segurança? Não muito.

 

As configurações de codificação perfeitas para sua transmissão ao vivo podem não ser adequadas para outras. Isso nos leva ao primeiro passo ao configurar seu codificador: considerando as especificidades do seu cenário de streaming.

 

Você pode otimizar sua live para:

 

  • Audiência – Ajustar os parâmetros de configuração para obter o maior alcance possível sem travamentos ou perda de qualidade
  • Experiência de uso – Configurar a transmissão buscando a excelência da experiência individual de cada espectador
  • Largura de banda disponível – Otimizar a live de forma personalizada, de acordo com a qualidade de internet do usuário final

Qualidade de vídeo x largura de banda

 

Vídeos de alta qualidade geram fluxos que exigem muita largura de banda. E no mundo digital de hoje, largura de banda significa dinheiro. Além disso, a velocidade da sua internet deve ser capaz de lidar com a largura de banda que você está tentando codificar.

 

Codificar fluxos de baixa taxa de bits sempre que possível ajuda a minimizar os custos.

 

A recomendação é ajustar os seguintes atributos com base na sua transmissão exclusiva.

 

  • Taxa de quadros
  • Intervalo de quadro-chave
  • Taxa de bits do áudio
  • Taxa de bits geral

 

Ao definir os ajustes das configurações acima, você codificará os fluxos com mais eficiência e os distribuirá de maneira mais econômica.

 

Não sabe o que cada um desses termos significa?

 

Taxa de quadros

A taxa de quadros refere-se à velocidade na qual cada quadro é mostrado. Quanto menor a taxa de quadros, mais preciso o vídeo.

 

Os fluxos HD suaves utilizam 60 quadros por segundo (fps), o que significa que cada segundo do vídeo contém 60 imagens distintas.

 

Fazer uso de um valor padrão, entre 25 ou 29,97 fps, geralmente é uma aposta segura. Reduzir ainda mais a taxa de quadros pode ajudar a minimizar a taxa de bits geral quando a qualidade não importa. Para câmeras remotas (câmeras IP) usadas para capturar imagens de segurança, uma taxa de quadros de 10 a 15 fps funciona bem.

 

Intervalo de ‘key frame’

Um intervalo de ‘key frame’, também chamado de ‘i-frame’, é uma configuração de codificação que determina com que frequência a imagem inteira é transmitida.

 

Quando um fluxo é codificado, apenas alguns quadros mostram a imagem completa. O quadro inicial (chave) inclui uma imagem completa, enquanto os quadros subsequentes (delta) representam apenas alterações daquela imagem. Isso ajuda a reduzir dados redundantes e a diminuir a largura de banda.

 

Se o seu fluxo de vídeo retratar cenas estáticas, como um noticiário ou um programa de entrevistas, um intervalo de quadros-chave de dois segundos será suficiente. Porém, fluxos de eventos esportivos cheios de ação exigem um intervalo de quadro-chave mais curto, de cerca de um segundo.

 

Taxa de bits do áudio

O áudio cristalino é importante. Os espectadores irão abandonar sua transmissão, caso a qualidade do áudio não agrade o suficiente. Por esse motivo, também é importante alocar largura de banda para o segmento de áudio.

Dito isto, o áudio tem um papel maior em alguns tipos de transmissão. Você precisa usar uma taxa de bits de áudio mais alta, para uma transmissão de notícias, do que para um evento esportivo. Embora talvez seja contra-intuitivo, isso tem a ver com a forma como o seu público está se envolvendo.

Quando se trata de notícias, os espectadores ouvem o que o repórter tem a dizer. Com eventos esportivos, eles assistem ao jogo, e a imagem se torna o mais importante.

 

Taxa de bits geral

A taxa de bits geral é uma das coisas mais difíceis de equilibrar com a qualidade e o tipo de evento de streaming.

Na maioria dos casos, os engenheiros tentam aumentar a taxa de bits o mais alto possível, na tentativa de obter a melhor qualidade de imagem.

 

Há dois problemas com essa abordagem:

 

A codificação de transmissões com alta taxa de bits, sem largura de banda e recursos suficientes, pode corromper o vídeo.

 

Gerar transmissões com alta taxa de bits, sem largura de banda suficiente, pode resultar na queda de quadros do vídeo.

 

Você deve considerar se está realizando, ou não, transmissões de vídeo com taxas de bits adaptável (ABR).

Com o ABR, o espectador escolhe uma taxa de bits que preferir e achar ideal, de acordo com a qualidade de sua internet. Dessa forma, todo espectador terá uma boa experiência, independentemente de sua qualidade de conexão.

Na maioria dos casos, as renderizações adaptativas serão configuradas no servidor e não no codificador. Mas você precisará configurar o intervalo do quadro-chave para dar suporte ao ABR. Use um quadro-chave de um ou dois segundos para esses fluxos, independentemente do que estiver gravando.

O JMV Player, possui renderizações adaptativas, que ajustam a qualidade do vídeo de acordo com a qualidade de conexão do usuário final.

 

Configurações recomendadas do codificador

Recomendamos personalizar o intervalo do quadro-chave, a taxa de quadros, a taxa de bits do áudio e a taxa de bits do vídeo no seu cenário de streaming. Dessa forma, você codificará uma transmissão da maneira mais eficiente possível.

 

Abaixo estão algumas recomendações padrão baseadas em cada tipo de uso, grau de movimento, público e largura de banda disponível.

 

Eventos esportivos

 

Os eventos esportivos e de jogos, exigem um intervalo curto do quadro-chave para acomodar o ritmo do movimento, o que também permite diminuir a latência. A taxa de bits do áudio não precisa ser tão alta, pois a ação está em campo.

 

Intervalo do quadro-chave: 1 segundo

Taxa de quadros: 29.97 / 25 fps

Taxa de bits do áudio: 128-192 kbps

Streaming de taxa de bits adaptável: Sim

 

 

Notícias e transmissões de talk show

 

A taxa de bits não precisa ser muito alta para os talk shows. Menos movimento no vídeo permite uma menor taxa de quadros.

 

Intervalo do quadro-chave: 1-4 segundos

Taxa de quadros: 29.97 / 25 fps

Taxa de bits do áudio: 192-256 kbps

Streaming de taxa de bits adaptável: Não essencial

 

Câmeras de segurança (Câmera IP)

 

Quando se trata de câmeras de segurança, a qualidade de imagem pode não ser o fator mais importante. Você pode manter todas as configurações baixas para acelerar os processos.

 

Intervalo do quadro-chave: 4 segundos

Taxa de quadros: 10-15 fps

Taxa de bits de áudio: 64-128 kbps

Streaming de taxa de bits adaptável: Não

 

Ao entender o que você está tentando entregar antes de configurar seu codificador, você aprimora a entrega e oferece uma melhor experiência de streaming aos espectadores.

 

Todas essas configurações são extremamente técnicas e você pode não ter todo o conhecimento que precisa para realizá-las. Por isso, conte com a JMV Technology para facilitar todos esses processos, e tornar a sua transmissão precisa em termos de qualidade e segurança.